O compositor italiano Ennio Morricone morreu nesta segunda-feira (6), aos 91 anos, em uma clínica em Roma, na Itália, por complicações após sofrer uma queda. Ele quebrou o fêmur no acidente e estava internado há alguns dias.

O premiado maestro ficou famoso por composições para filmes de western de Sergio Leone e pelos trabalhos com o diretor Quentin Tarantino. Um dos quatro filhos do artista, Marco Morricone, informou que o funeral será “estritamente privado”.

Em um comunicado divulgado aos meios de comunicação, a família disse que pretende respeitar “o sentimento de humildade que sempre inspirou os atos de sua existência”. O músico “preservou até o último momento uma lucidez total e uma grande dignidade” e pôde se despedir de sua esposa Maria, que o acompanhava o tempo todo.

Carreira

Morricone assinou algumas das trilhas sonoras mais memoráveis da história do cinema. Ele criou canções inesquecíveis para o cineasta italiano Sergio Leone, um dos principais nomes do gênero western. O trabalho do compositor ficou conhecido pela “Trilogia dos Dólares”, estrelada por Clint Eastwood: “Por Um Punhado de Dólares” (1964), “Por uns Dólares a Mais” (1965) e “Três Homens em Conflito” (1966).

Entre as centenas de criações, destacam-se para o filme incluem a que ele fez para “Cinema Paradiso” (1988) de seu amigo Giuseppe Tornatore, “A missão” (1986) e “1900” (1976), de Bernardo Bertolucci.

Em 2006, Morricone coroou sua maravilhosa carreira com o Oscar Honorário. E uma década depois, em 2016, ele conquistou novamente o Oscar, desta vez com a trilha sonora para o filme “Os Oito Odiados” (2015), de Quentin Tarantino, um trabalho que lhe valeria outras premiações, como o Globo de Ouro e o Bafta da Academia Britânica.

*Com EFE