O britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, passeou neste domingo no Grande Prêmio da Hungria, vencendo a terceira etapa do Campeonato Mundial de Fórmula 1, resultado que permitiu ao atual campeão assumir a liderança da temporada entre os pilotos. Esta foi a 86ª vez que o dono do carro número 44 subiu ao topo do pódio, o que o deixa a apenas cinco vitórias de igualar o alemão Michael Schumacher, recordista absoluto da categoria. De quebra, Hamilton igualou outra marca histórica do heptacampeão, ao vencer pela oitava vez um mesmo GP, como o ex-Bennetton e Ferrari havia alcançado no Grande Prêmio da França. Além desta edição da prova, realizada no circuito de Hungaroring, e das duas anteriores, o britânico também venceu em 2007, 2009, 2012, 2013 e 2016.

No Mundial de Pilotos, Hamilton, que também venceu o GP da Estíria, na semana passada, chegou aos 63 pontos, incluído o dado pela melhor volta, alcançada no fim da etapa, quando trocou pneus e vou baixo, em 1min16s627, novo recorde do circuito em corrida. O holandês Max Verstappen, da Red Bull, terminou em segundo de maneira surpreendente, já que bateu na volta de saída dos boxes, quando se dirigia para o grid de largada. Em poucos minutos, a escuderia conseguiu consertar o carro danificado no lado esquerdo. O finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes, que começou e etapa como o líder do campeonato, errou na largada, despencando da segunda para a sexta colocação, conseguiu terminar em terceiro. Com isso, foi a 58 pontos na classificação.

Em boa fase, a Racing Point conseguiu alcançar a quarta colocação, com o canadense Lance Stroll, no melhor resultado do jovem piloto na temporada. O tailandês Alexander Albon, da Red Bull, completou o ‘top-5’. A Ferrari alcançou o sexto lugar com o alemão Sebastian Vettel, que protagonizou uma das imagens marcantes da prova, ao levar uma volta de Hamilton.

O mexicano Sergio Pérez, da Racing Point, ficou em sétimo, seguido pelo australiano Daniel Ricciardo, da Renault, do dinamarquês Kevin Magnussen, da Haas, e do espanhol Carlos Sainz, da McLaren. O monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, que começou a prova como quarto colocado do campeonato, foi apenas o 11º na corrida, fora da zona de pontuação.

*Com Agência EFE