O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que a economia norte-americana está “se expandindo e crescendo lindamente”. “Agora, os democratas querem mantê-la fechada o maior tempo possível, porque acham que isso é bom para as eleições. Mas acho que a economia está indo muito bem. Agora estamos voltando, e voltando a um nível que ninguém pensaria ser possível”, disse Trump em entrevista ao programa Fox News Sunday, transmitida neste domingo. Entre os indicadores de recuperação econômica do país, Trump citou a alta histórica do índice Nasdaq e o índice Dow Jones próximo a um patamar recorde. “Teremos uma bolsa de valores, talvez no dia 3 de novembro, a mais alta da história”, previu Trump.

Sobre os pacotes de ajuda do governo à população, Trump afirmou que pode não assinar um novo projeto de lei de estímulo à economia se não incluir determinadas disposições como o corte nos impostos sobre a folha de pagamentos. O projeto atual termina no fim deste mês e amanhã o Congresso deve iniciar as discussões sobre uma nova rodada de auxílio.

Trump também voltou a elogiar as medidas adotadas pelo seu governo no combate do novo coronavírus. Ele disse que o número de infectados pela covid-19 nos EUA reflete a alta testagem realizada no país. “É porque temos ótimos testes, porque temos os melhores testes do mundo. Se testássemos a metade, esses números seriam baixos”, disse Trump, ao ser questionado sobre os números de casos e mortes do país. Em mais de um momento na entrevista, Trump subestimou os números oficiais sobre o avanço do novo coronavírus no país na comparação com outros países e disse que considera que os números são um aumento na aplicação de testes e não um aumento real na gravidade da pandemia. “Nenhum país jamais fez o que fizemos em termos de teste. Nós somos a inveja do mundo”, disse ele.

*Com Estadão Conteúdo