Vários setores da economia foram atingidos drasticamente pela pandemia de coronavírus. As áreas de arte, cultura e esporte, por exemplo, tiveram queda de cerca de 70% na taxa de emprego. O setor imobiliário também apresentou um recuo maior do que o habitual, mas em uma proporção menor. De acordo com o Sindicato de Habitação, nos meses de abril e maio a venda de imóveis teve uma queda de quase 30%. E para quem pensa que a crise reduziu o preço do imóvel, a situação não é exatamente essa.

Segundo a especialista em mercado imobiliário Yslanda Barros, quem busca uma nova moradia provavelmente encontrará valores mais alto do que antes da pandemia. Ela explica que esta situação é um reflexo do aumento do custo da construção, que sofreu também com a alta no valor dos produtos. Sobre essa mudança, ela conta que as pessoas não desistiram de alugar ou comprar, mas adiaram o planejamento.

A especialista ainda fala que quem quer investir em um imóvel, este é o melhor momento, já que a taxa de juros teve uma queda histórica. Em um cenário pós-pandemia, Yslanda acredita que a situação vai melhorar e lembra que outras crises já foram superadas pelo mercado. O setor imobiliário representa 5% do Produto Interno Bruto nacional.

*Com informações da repórter Camila Yunes