Os jogadores do clube português Desportivo das Aves tiveram de ir de carro para o estádio do clube, em Vila das Aves, para o jogo desta terça-feira (21) contra o Benfica. A decisão foi tomada porque o clube perdeu as chaves do ônibus que levaria os atletas até o local. Para evitar um WO ou atraso na chegada da equipe, o Aves orientou os jogadores a dirigirem até o estádio. O jogo é válido pelo Campeonato Português e está marcado para as 17h15, no horário de Brasília.

O problema com o ônibus é apenas um dos vários que o Desportivo das Aves enfrenta. O clube está devendo salários  aos atletas e, por isso, o time correu o risco de não entrar em campo nos jogos contra o Benfica e o Portimonense, no domingo (26), pela última rodada do campeonato. Vários atletas usaram os atrasos salariais para rescindir o contrato com a equipe.

Além disso, o jogo desta terça-feira correu o risco de não acontecer porque o Aves admitiu não ter dinheiro para bancar os testes de Covid-19 do elenco. Sem a testagem, os jogadores não poderiam entrar em campo. Em um esforço coletivo de entendidas e da Liga Portuguesa, os atletas puderam ser testados a tempo para disputar a partida. Caso o Aves perdesse o jogo de hoje por WO, ou qualquer um dos últimos três jogos do torneio, o clube corria o risco de terminar o Português com 0 pontos.

Mesmo com todos os esforços, a situação do Desportivo das Aves é desesperadora. O time é o último colocado no Campeonato Português, já rebaixado, e sem chances de sequer deixar a lanterna. O torneio ainda tem duas rodadas, mas o Porto já é o campeão. O Benfica, que será o novo time do ex-técnico do Flamengo Jorge Jesus, é o vice-campeão, e Sporting e Braga brigam pela 3ª posição.