Consumo das famílias registra o pior índice desde 2010. Pesquisa da Confederação Nacional do Comércio aponta queda de mais 4% nas intenções de compra em julho, um indicador de 66 pontos na escala de até 200; analisa o economista da Associação Comercial de São Paulo, Marcel Solimeo. “É que o consumidor, em geral, perdeu rendas. Seja o informal, o conta própria, o trabalhar com carteira, profissionais liberais e até os próprios empresários tiveram uma perda de renda bastante significativa nesse período. O segundo ponto é que as pessoas não estão sentindo seguras no emprego com esses movimentos ainda de fechamento de empresas, então tudo isso faz com que as pessoas tenham mais cautela para se endividar.”

Além das questões econômicas, com os piores patamares da pesquisa também nas expectativas de emprego atual, a perspectiva profissional e a renda, Marcel Solimeo lembra que as pessoas ainda evitam sair de casa por causa da pandemia da Covid-19. Além disso, algumas lojas continuam fechadas e, no momento, não há compras por impulso, o que leva até mesmo a uma mudança de comportamento do consumidor, que passa a analisar a real necessidade da sua compra.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos