O empresário Guilherme Buoncompagno tem o hábito de tomar vinho há pelo menos 20 anos. Italiano, ele gosta bastante da bebida que vêm do seu país de origem, mas não tem preconceitos. Antes da pandemia, ele costumava consumir vinho em casa, com a esposa, ou em restaurantes e bares com os amigos, onde também tomava uma cervejinha ou algum drink. Guilherme notou que a quantidade de garrafas chegou a dobrar com a quarentena.

Parece que a máxima de uma taça de vinho por dia – ou até mais – tem sido aderida pelos brasileiros, principalmente durante a pandemia. De acordo com uma pesquisa da Ideal Consulting, no Brasil o consumo foi de 140 milhões de litros da bebida nos cinco primeiros meses deste ano. O número representa aumento de 35,5 milhões de litros em dois anos. O idealizador da Pró-Vinho, Márcio Marson, acredita que o crescimento está atrelado à pandemia e à mudança de costumes do brasileiro.

Ainda segundo o levantamento da Ideal Consulting, o vinho nacional vem ganhando espaço na mesa do brasileiro: quase 100 milhões de litros foram comercializados entre janeiro e maio de 2020. O gerente de marketing de uma vinícola, Rodrigo Valério, se surpreendeu com os resultados do primeiro semestre. A empresa teve alta de 83% nas vendas de vinhos finos e 53% nos vinhos de mesa. Rodrigo explica que o crescimento está diretamente atrelado às consequências da pandemia da Covid-19. Com as mudanças, o empresário Guilherme Buoncompagno quer consumir mais a bebida em casa e pretende trazer os amigos para jantar mais vezes.

*Com informações da repórter Nanny Cox