Os vereadores da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal de São Paulo não encontraram irregularidades no Hospital de Campanha do Anhembi. Seis parlamentares que integram o colegiado fizeram uma vistoria no complexo localizado na Zona Norte da capital nesta segunda-feira (20). A visita foi um pedido do vereador Reis (PT) para apurar denúncias feitas pelo Conselho Regional de Medicina de São Paulo de estrutura inadequada para os profissionais trabalharem. Entre essas reclamações estão falta de colchões, de água quente para o banho e também de ventilação adequada. No entanto, segundo Reis, essas irregularidades não foram encontradas.

A administração do Hospital de Campanha do Anhembi é dividida entre duas organizações sociais diferentes. Uma parte é administrada pela Iabas, e a outra, pela Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina. Embora não tenham encontrado nenhuma “irregularidade”, os vereadores apontam que há diferenças entre as duas gestões. De acordo com o vereador Caio Miranda, do Democratas, a principal “diferença” é relacionada ao conforto. A partir de primeiro de agosto, 561 leitos do Hospital de Campanha do Anhembi serão desativados. Desta forma, apenas 310 leitos vão atender pacientes com a Covid-19.

*Com informações da repórter Nicole Fusco