O número de infecções pela Covid-19 no mundo superou a marca de 15 milhões nesta quarta-feira (22), segundo contagem da Reuters. Nos Estados Unidos (EUA), que têm o maior número de casos no mundo, com 3,91 milhões de infecções, o presidente Donald Trump alerta que a pandemia “vai provavelmente, infelizmente, piorar antes de melhorar.” Completam a lista de cinco países com maior número de casos, atrás dos EUA, o Brasil, a Índia, Rússia e África do Sul.

Globalmente, a taxa de novas infecções não mostra sinais de desaceleração, de acordo com a contagem da Reuters, baseada em dados oficiais. Países como os Estados Unidos, Japão e China, assim como territórios europeus, já alertam a população para possíveis novos surtos da doença. No geral, depois que o primeiro caso do novo coronavírus foi relatado em Wuhan, no início de janeiro, foram cerca de 15 semanas para se chegar à marca de 2 milhões. Por outro lado, demorou apenas oito dias para se superar a marca de 15 milhões de infecções desde que se chegou ao número de 13 milhões, alcançado em 13 de julho.

Especialistas em saúde enfatizam que os dados oficiais subestimam os números reais de infecções e de mortes pela doença, especialmente em países com capacidade de testagem limitada. O número oficial de casos da doença, de 15.009.213, é pelo menos o triplo do de infecções graves de influenza registrados anualmente, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Ao mesmo tempo, o número de mortos no mundo, de mais de 616 mil em sete meses, está próximo da ponta mais alta das mortes anuais por influenza.

*Com informações da Agência Brasil