O ex-presidente da República Fernando Collor de Melo disse, em entrevista ao Pânico nesta quinta-feira (23), que os debates dele com o também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 1989, não foi manipulado pela Globo. O senador afirmou que Boni, que era um dos chefes da emissora na época, mentiu quando falou sobre a manipulação. “O Boni tomou alguns copos de vinho a mais e pisou feio na bola”, disse.

Segundo o executivo, ele fez usou uma maquiagem para fazer com que Collor parecesse suado e mais próximo do povo e também fez com que o candidato usasse uma gravata torta. O ex-presidente, no entanto, disse que nada disso é verdade. “É crível uma afirmação como essa sabendo nós que os debates foram na Manchete e na Band?”, questionou. “Nunca ninguém chegou para mim para perguntar se era verdade aquilo que o Boni falou, porque se é contra o Collor, é bom”, desabafou o político.

Ainda na entrevista, Collor falou sobre o período em que foi presidente da República. Ele foi eleito em 1989, mas renunciou ao cargo no fim de 1992 em meio a um processo de impeachment. O senador reforçou que o impeachment foi um processo político porque ele perdeu o apoio do Congresso. “O impeachment é político somente. As leis são instrumentalizadas para atender o que foi decidido [no Congresso]”, disse. Depois do julgamento na Câmara e no Senado, o processo foi para o Supremo Tribunal Federal (STF), que inocentou o ex-presidente. “O STF me julgou inocente de todas as acusações”, lembrou Collor, afirmando que a absolvição pela Corte é a prova final de que ele não cometeu crimes.