Os divórcios cresceram 18,7% no Brasil durante a pandemia, da Covid-19 após o início dos atos online pelos Cartórios. A norma permite a realização por videoconferência e implicou diretamente para o maior número de registros na comparação com os meses de maio e junho deste ano e junho de 2019, como explica o diretor do Colégio Notarial do Brasil, Conselho Federal, Andrey Guimarães Duarte. “Esse aumento se deu em 15 estados da federação, chegando até mesmo a 30% no estado do Amazonas”, explica.

Após a brutal queda nos atos notariais, durante a quarentena, houve a autorização para as escrituras; divórcios, inventários, partilhas, compra e venda, doação; e procurações de forma remota. Os divórcios consensuais, que não envolvam menores, passaram a ser resolvidos sem deslocamentos ou encontros entre as partes, em ambientes separados, simultâneos ou em momentos distintos, inclusive via celular. Em números absolutos, os consensuais passaram de 4.471 em maio para 5.306 em junho deste ano.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos