O empresário Flávio Augusto, criador da rede de escola de idiomas Wise Up e da plataforma Meu Sucesso.com, aposta que a tecnologia é a única maneira de médios e pequenos empresários crescerem durante a pandemia do novo coronavírus. Em entrevista ao Morning Show nesta quinta-feira (23), Augusto disse que quem se antecipou investindo em recursos tecnológicos para os negócios antes da crise sanitária, sairá financeiramente melhor dela. “Mais de 16 mil empresas fecharam na pandemia, um contingente enorme. Para crescer, inevitavelmente você precisa ter algum componente de tecnologia, um e-commerce ou [plataforma] parta fazer delivery. Não tem outra forma”, aconselhou o empresário.

Para Flávio Augusto, a adoção das compras online não irá substituir operações presenciais na maioria dos segmentos. No entanto, ele ressaltou que o processo de digitalização das empresas é inevitável. “Pela reclusão das pessoas em casa, elas se viram forçadas e, também como única alternativa, a consumirem pela internet. Principalmente aquelas pessoas de mais idade que antes eram resistentes a fazerem compras online. As pessoas experimentaram, muitas delas gostaram e vão continuar utilizando essa modalidade. Mas isso não significa que vamos acabar com uma loja presencial. É uma questão de hábito de consumo”, avaliou.

Com a atual discussão da criação de um novo imposto aos moldes da antiga CPMF, além da reforma tributária, o empresário disse que a maior implicação dessas pautas é o pequeno empresário. “Ninguém gosta de pagar imposto, é uma imposição. (…) É óbvio que não tenho mais interesse em pagar imposto, mas prefiro analisar o lado do pequeno empreendedor. A maioria dos empregos formais são gerados justamente pelas pequenas empresas, não é o Estado o maior empregador do Brasil. A minha maior preocupação é o pequeno empresário que já sofre com burocracias para poder empreender com riscos. É esse cara que não pode pagar mais impostos.”