A polícia da cidade de Asti, no sul da Itália, prendeu nesta quinta-feira (23) dois homens acusados pelo roubo de relíquias ligadas a Ayrton Senna, avaliadas em cerca de 300 mil euros, cerca de R$ 1,7 milhão. Os objetos foram parcialmente recuperados. O crime aconteceu há alguns dias, mas não foi divulgado pelas autoridades até que fossem detidos os possíveis responsáveis, um homem de 32 anos e outro de 31, segundo publica a imprensa italiana. Entre os itens roubados estão macacões, capacetes, luvas, agasalhos. O material pertence a um colecionador, que os guardava em um imóvel que estava fechado.

Segundo o chefe da polícia de Asti, os acusados teriam entrado na casa em diversas oportunidades e em momentos distintos. Eles foram presos em um carro do lado de fora da residência, junto com parte das relíquias. Ao vasculhar a casa de um dos detidos, foram encontrados outros objetos ligados a Senna. “A investigação, no entanto, não terminou, pois é preciso entender se o roubo foi encomendado por alguém, embora pareça ter sido algo ocasional”, explicou um comandante da polícia local. As autoridades de Asti fizeram um apelo para que pessoas que localizem objetos que foram do piloto entrem em contato para fazer a devolução.

*Com informações da EFE