Na última quarta-feira, 22, a Arena Corinthians amanheceu com o gramado e uma das traves pichadas. ‘Cássio Frango’ foi uma das escritas feitas por um torcedor do Palmeiras, que invadiu o estádio alvinegro para provocar o rival. Horas depois, no entanto, o futebol tratou de, mais uma vez, provar que ‘o mundo gira’. Com uma atuação de gala do goleiro do Timão e uma falha de Weverton, arqueiro alviverde, a equipe comandada por Tiago Nunes venceu o Dérbi por 1 a 0 e fez a alegria da torcida corintiana. Entre aqueles que vibraram com o triunfo preto e branco está Vampeta. Ídolo do clube de Parque São Jorge e atual comentarista do Grupo Jovem Pan, o pentacampeão mundial ‘se vingou’ após o clássico válido pela 11ª rodada do Campeonato Paulista.

“Eu tenho que agradecer à pichação, aos caras que escreveram ‘Cássio Frango’”, brincou Vampeta, ainda durante a transmissão do jogo. “Ele foi o melhor em campo”, acrescentou, antes de fazer uma análise mais aprofundada sobre a partida. “Pareceu o Corinthians dos velhos tempos. Quando o Tiago Nunes chegou, ele queria a mudar a forma de jogar, de atacar. Mas, agora, pareceu o Corinthians dos velhos tempos, de Carille, de Mano Menezes… Fechou a casinha, ganhou por 1 a 0 e se segurou com o Cássio, que é um cara que, nos grandes jogos, sempre aparece. E ainda foram irritar o homem… Por que foram irritar o Cássio? Foi uma vitória de Corinthians. Foi aquele negócio de jogar por uma bola. O Corinthians até que fez um primeiro tempo bom, tocando a bola, mas, depois do intervalo, só deu Palmeiras, e o Cássio… Ontem, escreveram naquela trave que ele era frangueiro, e ele pegou tudo. O Cássio fez a diferença mais uma vez”, finalizou.

Se, por um lado, deixou a torcida do Corinthians feliz da vida, por outro, o Dérbi da última quarta-feira revoltou uma parte dos alviverdes. Um grupo de torcedores do Palmeiras depredou a sede do clube na madrugada desta quinta-feira, 23, após a derrota em Itaquera. Imagens em redes sociais mostram que, na entrada principal, na rua Palestra Itália, houve ataque ao portão, arremesso de garrafas e até a quebra de equipamentos que ficam no local, como monitores de televisão. Alguns dos membros do grupo que atacou a sede chegaram a entrar na sede do Palmeiras após forçar a abertura do portão, mas logo depois fugiram. Agora pela manhã, o clube começou os reparos aos danos causados.