O comentarista Bruno Prado polemizou e disse, durante o Esporte em Discussão, do Grupo Jovem Pan, que, se fosse dono de um clube, contraria Fernando Diniz, e não Muricy Ramalho, Felipão ou Abel Braga, como treinador. A afirmação aconteceu depois de o repórter Marcio Spimpolo fazer ressalvas à filosofia de trabalho do atual técnico do São Paulo e dizer que ele precisaria ganhar títulos para ser considerado um bom comandante. Foi aí que Bruno Prado rebateu. “Essa questão de ganhar ou não títulos é muito subjetiva. O Abel Braga, por exemplo, é mais vencedor que o Diniz. Mas, se você me perguntar quem eu contrataria para o meu time, seria o Diniz. E considerando o Abel no auge, no melhor momento. Eu traria o Diniz sem a menor dúvida, sem pensar duas vezes”, opinou. 

“Uma coisa é o número de títulos, a outra é o que eu quero para o meu time. Eu nem cogitaria contratar o Abel Braga. Se for contar apenas a quantidade de títulos, não precisa fazer análise. É só pegar a lista de conquistas, destacar quem ganhou mais e falar que é o melhor. Aí, não tem análise”, acrescentou. Spimpolo discordou de Bruno Prado e perguntou se, se colocasse na mesa Fernando Diniz, Felipão e Muricy Ramalho, a opinião do comentarista seria a mesma. “O Felipão é um cara que tem a história dele no futebol, que é muito respeitada, e eu respeito bastante. Mas, se eu sou dono de um time e contrato quem eu quiser, eu contrato o Diniz”, enfatizou o comentarista.  

“Com relação ao Muricy… Ele também é um técnico que está em outro estágio, que alcançou outra prateleira, mas eu gosto mais do trabalho do Fernando Diniz. É o estilo. O Fernando Diniz pode conquistar (os mesmos títulos que Muricy já ganhou), a carreira dele está em andamento. O Muricy ganhou o primeiro título relevante com dez anos de carreira, em 2006, com o São Paulo. Ele começou a carreira em 1996, mas demorou dez anos para ganhar um título (relevante). O São Paulo tem potencial, mas não ganha (o Paulistão) desde 2005… E o técnico de lá para cá não era apenas o Fernando Diniz”, finalizou. 

Confira como foi o debate no vídeo abaixo: