O caso Mariana Ferrer voltou a ser assunto nas redes sociais nesta terça-feira, 3, depois de André de Camargo Aranha ser absolvido pela sentença inédita no Brasil de “estupro culposo”. Muitas celebridades ficaram indignadas com o desdobramento do caso e se manifestaram nas redes sociais. “‘Estupro culposo‘ pqp”, escreveu Bruna Marquezine no Twitter. “‘Estupro culposo’ não existe”, acrescentou a cantora Iza. “Estupro culposo é tipo o lado sombrio da lenda do boto na Amazônia, ambos criados por homens pra defender estuprador e culpabilizar as vítimas. ÉGUA BRASIL”, postou a cantora Gaby Amarantos.

“Entendam como é difícil ser mulher nesse país. O meu maior receio é que essa ‘decisão inédita’ abra precedentes pra inocentar estupradores. Estupro culposo não existe!”, escreveu a influenciadora digital Taynara OG. “Estupro Culposo NÃO EXISTE. Machismo Patriarcado canalha”, publicou o ator Silveiro Pereira. “ESTUPRO CULPOSO? Jura? As pessoas vão permitir que uma mulher seja atacada como foi , estuprada e ainda inventem um termo que nem existe pra defender o estuprador?”, disse a apresentadora Tata Werneck. “Se pra nós que estamos acompanhando de fora, já é ruim, desgastante, nojento e revoltante, imaginem como deve estar sendo horrível pra Mariana… Meu Deus! Vivemos num país que não protege as mulheres. É desesperador. ESTUPRO CULPOSO NÃO EXISTE”, opinou a ex-BBB Vivian Amorim. 

“Estou tremendo aqui agora, não teve a intenção de estupro? Desculpa, gente, mas isso existe? Porque essa é nova para mim. Não teve a intensão de estupro? Quantas mulheres, assim como a Marina, terão medo de expor uma agressão, de expor um estupro porque a sociedade não acredita nela. Quantas outras mulheres precisarão ser humilhadas, estupradas, para que a sociedade entenda que não há hipótese de não ter intensão de estupro ou intensão de agressão? A gente vai ter medo de sair na rua, de pegar uma condução, de entrar no carro de um aplicativo, medo do assédio, medo dos olhares, medo de colocar uma roupa, sair e ser assediada. Não é justo”, falou Rafa Kalimann em um vídeo postado no Instagram.

Relembre o caso

A influenciadora digital Mariana Ferrerse se tornou embaixadora do Cafe de La Musique, um beach club de Florianópolis, quando tinha 20 anos. Depois de um ano, ela denunciou um estupro que aconteceu no estabelecimento. De acordo com a influencer, no dia 15 de dezembro de 2018, ela foi dopada e então violentada pelo empresário André de Camargo Aranha, que teria amizade com os proprietários do local. O caso foi exposto pela própria vítima nas redes sociais e ganhou grande repercussão.