A apresentadora da quinta temporada do Power Couple, Adriane Galisteu, revelou as dificuldades de apresentar um reality show em entrevista ao programa Pânico, da Jovem Pan, nesta quinta-feira, 27. “A minha maior dificuldade é ser neutra. Uma coisa é ser telespectadora, outra coisa é estar ali com o microfone na mão e não puxar sardinha. Quando você está lá, você se coloca na pele das pessoas”, disse. Galisteu confessou que, apesar de tentar ser neutra, tem uma torcida secreta no programa. “Na última DR, eu fiquei louca. Eu saí para votar e ainda falei para eles que eu votei. Sabe quando você dá umas erradas no meio do caminho? A emoção de ser marinheira de primeira viagem nesse universo aparece, porém também aparece o quanto eu gosto de apresentar esse programa”, afirmou. Assim como é inevitável não torcer, a ex-modelo admitiu ter ranço de alguns casais. “A gente pega uns ‘rancinhos’, né? Mas eu troco de ranço, porque o reality é um pouco isso, é um pouco a gente. Nós não somos iguais o tempo inteiro”, avaliou Galisteu.

A onda de “cancelamentos virtuais”, porém, não assusta Galisteu. “Eu acho que esse é um pânico que as pessoas estão vivendo. Mas, de verdade, eu sou de outra geração. O meu medo era do ‘Notícias Populares’, de dar uma entrevista e ficar uma semana em pânico esperando ela sair, ler e ver que não tinha nada a ver com o que eu tinha falado”, lembrou a apresentadora, que fez sucesso nos anos 2000 apresentando o “É Show”, na Record TV. “Eu não estou muito preocupada. É claro que eu fico com medo, porque eu sobrevivi durante 7 anos que eu fiquei fora do ar com as minhas redes sociais. Para mim é muito importante o engajamento, mas eu não gosto desse ‘mimimi’ do cancelamento. Eu acho que as pessoas têm a chance de errar, de se reinventar e de pedir desculpas”, explicou. O programa, inclusive, não tem medo de arriscar e colocou no ar momentos íntimos de um dos casais. “Teve um gemidão e acho que foi a maior nota 10 da Record TV ter colocado isso no ar. Eu achei genial e acho que essa é a ideia do reality. São casais confinados. O que a gente espera? Que tenha fogo no lençol, treta no colchão, mas a gente quer também um ‘love’”, confessou.

O Power Couple já conquistou o público, mas a apresentadora acredita que o sucesso pode ser ainda maior. “Eu acho que ele tem como crescer [em audiência]. Quem faz o programa são os participantes e acho que a gente tem uma mistura pessoas muito boas ali. Mas, é claro, que depende do público”, apontou a ex-modelo, que acredita que a pandemia foi um fator importante para o aumento da audiência dos reality no último ano. “Um dos motivos do sucesso é a gente ter vivido isso. A pandemia trouxe um pouco dessa sensação de confinamento.” E, falando sobre reality shows, Galisteu não descarta a possibilidade de ser a próxima apresentadora de “A Fazenda“. Ela acredita que a emissora optará por um nome masculino, mas se mostra inclinada a aceitar o desafio caso seja convidada. “Eu estou na torcida, torçam por mim”, pediu ao público. Além de Galisteu, nomes como Caio Castro, Otaviano Costa, Celso Zucatelli e Luciano Szafir estão sendo cogitados para o comando do programa.