Felipe Neto agitou as redes sociais no começo deste sábado, 23. Participando da corrente “Crie uma treta literária e saia”, no Twitter, o youtuber soltou o verbo e disse que indicar livros clássicos como os de Álvares de Azevedo e Machado de Assis nas escolas contribuiu para que muitos adolescentes tenham aversão a leitura. “Forçar adolescentes a lerem romantismo e realismo brasileiro é um desserviço das escolas para a literatura. Álvares de Azevedo e Machado de Assis NÃO SÃO PARA ADOLESCENTES! E forçar isso gera jovens que acham literatura um saco”, escreveu. E se o propósito era criar uma treta literária, ele conseguiu. A postagem teve mais de 32 mil curtidas e 11 mil comentários.

Na continuação de sua explicação, Felipe explicou que a discussão não pode ser levada para o lado pessoal. “‘Ah, mas eu..’. Mano, larga o umbiguismo e vai ler os replies do meu post, vai ver QUANTAS pessoas são negativamente impactadas pela forma como a literatura é dada nas escolas“, comentou. O assunto rendeu por muitas horas com especialistas em linguística concordando com o youtuber e muitos leitores revoltados com os argumentos usados por ele na discussão. Confira abaixo alguns dos tuites sobre o caso: