A cantora Kelly Key revelou que já sofreu assédio de um diretor de TV e lamentou o fato desse tipo de situação ser corriqueira no meio artístico. A artista, que ficou conhecida em todo Brasil com a música Baba, deu detalhes do que aconteceu no programa “Altas Horas” exibido na noite do último sábado, 17, na Globo. “Todas as mulheres já passaram por isso. A maioria. A gente nunca fala sobre, porque somos oprimidas. Graças a Deus, sempre tive muita sorte. Eu tive poucas experiências como essa. Mas já estive na televisão e aconteceu de diretor receber foto minha, de divulgação, de vestido e eu chegar no programa de calça jeans, e ele falar: ‘Não, eu chamei uma cantora que usa saia’. Durante muito tempo foi desagradável conviver com isso. Parece que a gente está tendo sempre que provar algo a alguém”, afirmou.

Com uma carreira que foi consolidada na música pop, Kelly disse que seu estilo fazia com que muitos homens se sentissem no direito de fazer comentários desrespeitosos. “Nós, meninas do pop, usamos muito o corpo com a dança, e a sensualidade está no palco. Como o corpo da mulher sempre foi muito sexualizado, as pessoas não achavam de bom tom. Achavam minhas músicas ousadas. Se isso tivesse me afetado quem seria eu hoje?”, questionou a artista. “Isso te reprime, porque você não dança mais da mesma maneira, não se veste mais como gastaria. Mas aí chega a maturidade e você começa a entrar numa vibe de que não precisa mais provar nada para ninguém.”

Como o sucesso veio cedo, a cantora, que atualmente está com 37 anos, falou que precisou de afastar um pouco da música após explodir em todo o Brasil. “Tive um hiato dentro da música, porque comecei a cantar muito nova e é natural que tenha que parar para se reencontrar, se reinventar. Eu percebia que dentro da música eu já tinha dado o que tinha que dar, mas as pessoas pediam coisas novas e queriam que eu voltasse”, falou Kelly, que decidiu retornar a música por estar prestes a completar 20 anos de carreira. “Surgiu a ideia da gravadora para eu voltar a gravar. A música foi muito generosa comigo. Foi muito interessante reviver isso.” A artista já estava preparada para fazer shows em 2020 com seu novo trabalho, porém veio a pandemia e as apresentações foram canceladas. Por conta disso, ela voltou em julho com a família para Portugal, mas disse que pretende voltar ao Brasil em fevereiro. “Faço muitas viagens ao longo do ano. Estou sempre transitando entre Angola, Portugal e Brasil, que são os três países que eu tenho casa.”