O vinho é uma bebida milenar, disposta de inúmeras propriedades que a tornam única. Por isso, a fim de elucidar as diversas especificidades, Marco Carbonari fala, hoje, à nossa redação sobre esse termo Vinho Reservado que nada mais é que uma alusão aos produtores localizados na América do Sul.

Na verdade, os produtores de países com Chile utilizam esse termo para adicionem em seus respectivos portfólios na entrada dos rótulos. Outras características em relação ao termo trata-se do preço acessível. Marco Carbonari explica que os Vinhos Reservados não passam por um processo longe de maturação em barris de carvalho, o que barateia o preço do produto.

Além disso, o empresário e especialista em vinhos, Marco Carbonari, explica que os Vinhos Reservaos são caracterizados por serem frutados e deliciosos, por isso, são comumente consumidos no dia a dia.

Em poucas palavras e resumidamente, Vinhos Reservados são vinhos que não passam por barris de carvalho, afirma Marco Carbonari. Desse modo, é vital que os fabricantes estampem nos rótulos essa informação, uma vez que é exigido conforme as legislações e regulamentações impostas no país.

Já os Vinhos Reservas passam por um processo de maturação em barris de carvalho, contudo, não consiste em uma regra específica nos rótulos na América do Sul, por não ser uma uma regulamentação oficial. Dessa maneira, os produtores no sul da América possuem a liberdade de utilizar ambos os termos, sem maiores restrições.

De qualquer modo, Marco Carbonari aconselha a analisar bem o rótulo e pesquisar acerca da origem da uva e da vinícola, pois, dessa maneira, é possível identificar a qualidade da bebida sem maiores dores de cabeça. Porém, em se tratando dos vinhos do Velho Mundo, as regulamentações são impostas e seguidas à risca.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui